Sorriso largo...

sábado, 27 de novembro de 2021

DIA DA BAIANA DE ACARAJÉ (25 de Novembro)

 

Dia da Baiana de Acarajé

(25 de Novembro)


Vinte e cinco de Novembro!
Grande comemoração,
Da Baiana de Acarajé.
Foi linda a celebração,
Na Matriz de Santa Rita,
E no Patrimônio inscrita,
Uma história de emoção.
(Rosário Pinto)

(...)

As baianas atuantes
Com seu panos e colares
Chamam pra si os olhares
Com atraentes turbantes
Batas bem interessantes.
Capricho na vestimenta.
O interesse assim aumenta
Diante do oferecido
E o tabuleiro sortido
A freguesia alimenta.
(Dalinha Catunda)

O traje dessa Baiana
Tem seda, tem fita e renda.
Sustenta sua vivenda,
E não é qualquer fulana,
Dela a energia emana,
Dos Saberes Culturais,
Com a carga de seus ais.
Percorre toda a cidade
Seguindo para a irmandade,
Em busca dos ancestrais.
(Rosário Pinto)

25 de Novembro!
Dia de celebração
É dia que se festeja
Com ritos de tradição
Seguindo Ofício e Fé
A Baiana de Acarajé
Patrimônio da Nação.
(Dalinha Catunda)



Décimas extraídas do folheto Baiana de Acarajé, 2019. Uma parceria de Rosário Pinto e Dalinha Catunda.


sexta-feira, 5 de fevereiro de 2021

 

A verdade é que NADA nem NINGUÉM muda, especialmente a classe política. As pedras em baixo de viadutos em São Paulo é a prova CONCRETA da EXCLUSÃO! Políticas de educação, saúde e moradia, NINGUÉM realiza:

                     

                   “(...) Há governantes que olham

Pra saúde do povão

Mas aqui é diferente:

Pois o nosso cidadão

Só é bem visto e lembrado

Quando chega uma eleição.

*

O distante dirigente

Quando chega a eleição

Beija o povo ardentemente

Chega perto da nação

Foge dele quando vem

O final da votação.

*

Pelo que a história nos diz

Pelo tanto que vivemos

Não queremos repetir

Tantos erros que tivemos

Dias de medo e de dor

Vivendo sempre em extremos. (...)

Trechos extraídos de meu poema, NO PAÍS DO ESCULACHO.


segunda-feira, 4 de janeiro de 2021

DICIONARIO BIOBIBLIOGRÁFICO DE CORDELISTAS CONTEMPORÂNEOS

 

Caros amigos/as,

Já no final do ano de 2020 ficou pronto o Dicionário Biobibliográfico dos Cordelistas Contemporâneos. Tive o prazer de participar desta publicação da Nordestina Editora, organizada pelo poeta Zeca Pereira.
A publicação ficou muito boa e me apresso em compartilhar com vocês.
Em decorrência da publicação participei da live Cordel em Pauta, conduzida pelo artista de circo e poeta Jack Leidson.

sábado, 19 de dezembro de 2020

CORDEL EM PAUTA

 Jack Leidson realiza diariamente entrevistas com os poetas e poetisas que participam da publicação DICIONÁRIO BIO-BIBLIOGRÁFICO, 2020, editado pela NORDESTINA EDITORA, do Rio  Grande do Norte.

Agradeço a Jack pelo convite para o dia 16 de dezembro às 18:00h . 

Fique feliz em participar de momentos tão importantes para a literatura de  cordel




quinta-feira, 8 de outubro de 2020

DIA DO NORDESTINO - 08 de outubro


 Para este dia 8 de Outubro, DIA DO NORDESTINO

 

Faço rima faço glosa,

Pois, gosto da poesia,

E vivo com alegria.

Para alguns me chamo ROSA

E procuro a boa prosa.

Para tantos sou ROSÁRIO

Tenho espírito gregário,

Dos poetas, sou confrade,

E sempre busco a igualdade,

Como princípio primário.

 

Sigo sendo Nordestina

E não tolero censura

Só falo na cara dura

A poesia me ensina

O meu verso se refina

Sou poetisa e não minto,

Escrevo aquilo que sinto.

Faço cordel, faço prosa,

Pois gosto de fazer glosa.

Assino: Rosário Pinto.


Texto e foto: Rosário Pinto

sexta-feira, 28 de agosto de 2020

HOMENAGEM A CORA CORALINA

 

Toda a beleza lírica de Cora Coralina fica evidente no poema A PROCURA.


“ Andei pelos caminhos da VIDA.

Caminhei pelas ruas do DESTINO

procurando meu signo.

Bati na porta da FORTUNA,

mandou dizer  que não estava.

Bati na porta da FAMA,

falou que não podia atender.

Procurei a casa da FELICIDADE,

a vizinha da frente me informou

que ela tinha se mudado,

sem deixar novo endereço.

Procurei a morada da FORTALEZA.

Ela me fez entrar: deu-me veste nova,

perfumou-me os cabelos,

fez-me beber de seu vinho.

Acertei o meu caminho. ”

(Cora Coralina)


 Nossa linda Coralina,

Que marcou nossa existência

Para mim é referência

Ela comigo se afina

Delicadeza tão fina

Adoçando a nossa alma

Sem nunca perder a calma

A fazer doce no tacho

Ou a lavar roupa em riacho

Sua poesia acalma.

(Rosário Pinto)




sábado, 22 de agosto de 2020

M Ê S D O F O L C L O R E - 22 AGOSTO

 

Nenhuma descrição de foto disponível.
Cicero Do Maranhão, Josenir Lacerda e outras 33 pessoas
5 comentários
3 compartilhamentos
Curtir
Comentar
Compartilhar
Durante o mês do folclore
É sempre tempo de festa
Tem brinquedo e brincadeira
Mas também tem a seresta
Canções, rezas e benditos
Contos, parlendas e mitos
E de histórias da floresta.
*
Tem lenda de assombração
De menino malcriado
De príncipe e de princesa
De cangaceiro abusado
De camponês a roçar
De quadrilha pra dançar
De Lunga mal humorado.
*
Foi pelas mãos da parteira
Que a luz nos viu chegar
Todas mães confiavam
Nos saberes do lugar
Nas rezas de rezadeira
Isto não é brincadeira
É ciência popular.
*
Medicina popular
É nossa cultura oral
Tradição familiar
Este grande cabedal
Atravessa geração
É saber do coração
É da ciência informal.
*
A nossa literatura
Tem os versos bem marcados
O poeta de cordel
Deixa todos amarrados
O verso, a rima e a oração
Tudo em ritmo de canção
Martelos agalopados.
(Rosário Pinto)

(Rosário Pinto)
Nenhuma descrição de foto disponível.
Cicero Do Maranhão, Josenir Lacerda e outras 33 pessoas
5 comentários
3 compartilhamentos
Curtir
Comentar
Compartilhar