Sorriso largo...

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Oficina na Escola Barão de Itacuruça


Dia 18 de setembro 2017, a convite das professoras Maria das Graças da Silva Cunha e da diretora Marisa Bittencourt da Escola Barão de Itacuruça, Tijuca, realizei Oficina de Cordel para três turmas. A receptividade foi excelente. Já havia um trabalho prévio com os alunos, que cantaram um poema de cordel.
Apresentei as noções básicas da literatura de cordel:

- a chegada ao Brasil e sua melhor adaptação ao Nordeste;

- a função da oralidade como fonte de transmissão de conhecimentos;

- a peculiaridade das formas de expressão e do saber e fazer literário, transmitidas de geração a geração;

 - o olhar do poeta cordelista como um atento observador dos processos de atualização da sociedade em sua estrutura social, política e/ou tecnológica;

- a importância da literatura de cordel em sala de aula;

- as principais formas de composição poética: quadras, trovas, sextilhas e setilhas e décimas;

- a trajetória da literatura de cordel de versos cantados, impressos e mais modernamente publicados em mídias virtuais;

- apontei fontes de pesquisas (sites e blogs) e locais para aquisição de folhetos;

- a pontei a forte participação da mulher na literatura de cordel;

- a composição das capas, principalmente em desenhos, fotos e xilogravuras.

A Oficina foi encerrada com uma Ciranda preparada pela professora de música com os alunos.

Parabenizo professores(as) pelo interesse e envolvimento com a literatura de cordel

domingo, 10 de setembro de 2017

Oficina na E.M. Ginásio Aleksander Henryk Laks

Dia 31 de agosto realizei Oficina de cordel na E.M. Ginásio Aleksander Henryk Laks a convite da professora Thays Eci da Silva de Castro. Fui recebida pelas diretoras Fernanda de Barcellos de Mello, Elha Maria Aragão que ofereceram a estrutura necessária para a realização da oficina. O objetivo foi promover a literatura de cordel nas escolas e cativar a atenção dos alunos que foram muito receptivos e tiveram ótima participação. O objetivo das oficinas é levar a professores e alunos a importância das expressões populares e das suas manifestações vinculadas a poesia, o canto e demais manifestações de cunho popular. Ressaltamos o caráter de oralidade como fonte de transmissão de um saber e fazer literário que foram transmitidos de geração a geração; a riqueza das expressões da poética popular; a importância da literatura de cordel como ferramenta de aprendizagem e entretenimento.
A metodologia utilizada foi apresentação com Datashow exemplificando as principais modalidades da literatura de cordel.
A professora Thays realiza um excelente trabalho na Sala de Leitiura da Escola. Logo que cheguei fui surpreendida com uma exposição de xilogravuras feitas pelos próprios alunos e mural com as noções básicas da literatura de cordel.
Acredito ter atingido os objetivos desejados e agradeço a todos a gentiliza com que fui recebida. 

 .





segunda-feira, 21 de agosto de 2017

FESTA JUNINA



FESTA JUNINA

Aqui, de nada resmungo,
Fico só atrapalhada
Sigo o ritual da festa
Deixei faca bem fincada
Lá no pé da bananeira 
E fiquei na espreitada.

Gosto de me divertir
Com todos os rituais
O São João é bem repleto
De crendices sem iguais 
Tem Correios Amorosos
Com cartinhas geniais.

Eu já tenho um rapaz
Lá em casa a me valer,
Mas como gosto da festa
Estou pagando pra ver
E dançando nesta festa
Vou até o amanhecer

Quando eu era bem pequena
Lá na minha Bacabal
Festejava o São João
Em noitada sem igual.
E castanha sapecada,
Pra animar o festival.

Tinha dança de quadrilha,
Casamento na fogueira
Ciranda e cirandinha
Em noites brincadeira.
(Rosário Pinto)

segunda-feira, 31 de julho de 2017

AGOSTO - MÊS DO FOLCLORE

É chegado o mês de Agosto que é também Mês do Folclore. Mês em que comemoramos as tradições da história.

EDISON CARNEIRO – 2012

Natural de Salvador, BA, 12 de agosto é o seu aniversário. O folclorista que percorreu todo o país em busca das mais preciosas tradições da cultura popular brasileira.
*
O Folclore comemora
Relevante centenário
Neste Agosto é o mês
Do grande aniversário
Do gigante folclorista
Que conviveu com artista
Deixou-nos belo cenário
*
De quem falo já vos digo.
O nome homenageado
Edison Carneiro é
Folclorista apegado
Às tradições brasileiras
Fez delas suas bandeiras
Da cultura advogado.
*
Percorreu todo o país
Festas e religiões
Pesquisou tudo em detalhe
Em todas as ocasiões
Nada deixou para trás
De tudo, correu atrás,
Também estudou baiões.
*
Amigo de Jorge Amado
Que sempre reconheceu
No folclorista o mérito
De tudo que descreveu.
Muitos anos de pesquisas
Leu também as poetisas
Sobre tudo escreveu
*
Pesquisou sobre a umbanda
E também o candomblé
Toda a religiosidade
Estudou e fincou pé.
Fez minucioso estudo
Mestre tal e qual Cascudo
Na cultura mostrou fé.
*
O Rodolfo Cavalcante
Que foi grande menestrel
Um folheto publicou
Todo versado em cordel
Exaltando o folclorista
Passou sua vida em revista
Como um grande nobel.
*
Convidei dona Dalinha
Da família dos Catunda
Para trazer o seu verso
Com sua verve profunda
Ela é ágil na setilha
Sempre mantem sua trilha
Sua poesia é profunda
*
Leia abaixo o folheto
Clique o “link” sem temor
Para conferir-lhe a vida.
O poeta tem valor
E o Edison Carneiro,
Este grande brasileiro,
Provocou muito rumor.
(Rosário Pinto)
C0216
Cavalcante, Rodolfo Coelho. Dr. Edison Carneiro: o gigante do folclore afro-brasileiro. Salvador: Tipografia Ansival, 1977. 8 p.

sábado, 29 de julho de 2017

Cordelteca do Escritório da Biblioteca do Congresso dos EUA no Rio de Janeiro


Eu, Rosário Pinto e Dalinha Catunda participamos da fase inicial deste trabalho com consultoria e referência de poetas que poderiam se interessar em compor este acervo de valor inestimável. 

Mais de 12.000 peças, CDs e DVDs capturam esse gênero literário popular brasileiro

Pesquisadores e admiradores da Literatura de Cordel têm mais uma opção para obter informações online sobre esse gênero literário popular da cultura brasileira. Desde fevereiro de 2017, a Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos, por meio do seu Escritório no Rio de Janeiro, disponibiliza um acervo digital sobre o tema o Brazil Cordel Literature Web Archive. Visite a coleção no link:


O Escritório da Biblioteca do Congresso no Rio de Janeiro e a Divisão Hispânica da Biblioteca do Congresso em Washington têm trabalhado conjuntamente com o American Folklife Center (AFC) para que essa coleção de cordéis se torne uma das maiores do mundo. São mais de 12.000 peças e entre elas, a famosa coleção de Sol Biderman e algumas datadas da década de 1930. Para capturar o trabalho dos repentistas, o Escritório também adquiriu CDs e DVDs, além de outros títulos de cordéis. Alguns deles já estão disponíveis no site do Escritório:
O Escritório também é a primeira instituição da América do Sul a preservar coleções de sites, como por exemplo, o da eleição presidencial brasileira de 2010. Mais informações visite o link: 
Sobre o Escritório da Biblioteca do Congresso dos EUA no Rio de Janeiro
O Escritório da Biblioteca do Congresso Americano (Library of Congress) no Rio de Janeiro é um dos seis escritórios no exterior administrados pela Divisão de Operações no Exterior da Biblioteca do Congresso. Seu acervo inclui materiais como publicações, obras, etc. do Brasil, Uruguai, Suriname, Guiana e da Guiana Francesa. O objetivo é enriquecer as coleções de pesquisa da Biblioteca do Congresso com o que há de melhor da produção bibliográfica desses países.
O Escritório do Programa Nacional de Catalogação e Aquisição foi inaugurado em 1966 para suprir a Biblioteca do Congresso com publicações brasileiras. As publicações adquiridas incluem livros, jornais, revistas, folhetos, literatura de cordel, CDs, CD-ROMs, DVDs, mapas, cartazes e partituras musicais. Muitas publicações são compradas, porém um pouco mais da metade do total adquirido pelo escritório é proveniente do intercâmbio com cerca de 500 instituições. No último ano foram adquiridas 15,624 peças, provenientes de compra e doação.
Para mais informações sobre esta Nota à Imprensa entrar em contato com a Assessoria de Imprensa da Embaixada dos EUA em Brasília pelo e-mail BrasiliaEMBEUA@state.gov ou pelo telefone (61) 3312-7367 / 7350 / 7364.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

CORDEL DE SAIA EM AÇÃO


CORDEL DE SAIA, a convite da diretora Mirtes Medeiros e do Coordenador Técnico Lula Wanderley, participou hoje, dia 19 e julho de 2017, às 10:30 h, dos festejos juninos realizados na unidade CAPS EAT, Espaço Aberto ao Tempo, à rua Ramiro Magalhães, 521, Engenho de Dentro.
Levamos poemas referentes a São João, Santo Antônio, e claro, sobre as mulheres na literatura de cordel.

O evento contou com a participação do cordelista e ator Edmilson Santini com o seu Teatro em Cordel.

A manhã foi regada com poemas e muita música. A plateia foi bastante receptiva e no encerramento tivemos um gostoso baião de dois.

Agradecemos, mais uma vez aos organizadores das atividades


segunda-feira, 26 de junho de 2017

ASSÉDIO, AINDA UMA VERGONHA !


Folheando velhos alfarrábios trago para o tema: assédio - atitude que já deveria estar banida da nossa sociedade. Falta educação para varrer da sociedade esta conduta.

ASSÉDIO, AINDA UMA VERGONHA !

Também puxei a memória
E só lembrei solidão,
De doer o coração.
Adolescência inglória!
A lembrança é compulsória
Mas, logo me esquivei
O passado, eu guardei
Longas horas de tristeza
Numa vida de incerteza
Rasguei logo promissória.
*
Foram anos de agonia,
Naquele assédio constante,
Sem sossego, um instante
Da situação fugia,
Toda noite, todo dia.
Em tempos de solidão,
Em toda ocasião.
Aquelas horas malditas,
Eram sempre muito aflitas
Faltava-me harmonia.


Texto: Rosário Pinto